Iconic Bowie: a exposição dentro de uma nave espacial

O estúdio de arte e arquitetura FAHR 021.3 é o responsável pela estrutura da exposição que junta 40 fotografias inéditas de David Bowie no nosso Centro. Falámos com os fundadores do coletivo e descobrimos a inspiração, os materiais e as referências desta obra imponente, diferente e marcante.

Filipa Frois Almeida e Hugo Reis são os rostos por detrás da FAHR 021.3, o estúdio de arte e arquitetura, sediado no Porto e criado em 2012, que explora conceitos e práticas da arquitetura através de intervenções temporárias, abordagens urbanas, colaborações ou performances. Há cerca de dois meses foi-lhes lançado um desafio: desenvolver um espaço expositivo sobre o cantor David Bowie no nosso Centro. 

Os dois arquitetos inspiraram-se na vida e obra do artista icónico, sempre à frente do seu tempo e com a ambição de ser diferente, como uma personagem vinda de outro planeta.  O ponto de partida foi criar uma nave espacial, transmitindo a ideia de um satélite que nos conta a história e o percurso de Bowie ao entrarmos nele. 

Paralelamente a este conceito, a estrutura é também um espaço que nos permite viajar no tempo através de um corredor cronológico, uma espécie de timeline dividida por diferentes módulos que podemos conhecer de uma forma livre e completamente espontânea. 

“Nesta exposição não existe um início nem um fim, ela pode ser vista de trás para a frente e de frente para trás”, explica Hugo. A obra da FAHR 021.3 é feita maioritariamente em ferro e alumínio, materiais neutros que procuram realçar as fotografias expostas, e funciona como uma cápsula que balança entre algo funcional e muito arrojado. É um corpo estranho que se integra e se adapta à Praça Central do nosso Centro, tal como o próprio músico britânico. 

“Iconic Bowie” é a mostra que pode ser vista gratuitamente, de segunda a domingo, das 9h às 23h e sextas e sábados, das 9h às 24h, até 4 de novembro. 

Categorias
Cultura
Partilhar

Tudo o que precisa num único espaço