Há “Retratos do Cinema Português” no ArrábidaShopping

A exposição engloba 35 retratos a preto e branco dos membros da Academia Portuguesa de Cinema da autoria do fotógrafo José Pinto Ribeiro.

A exposição de fotografias “Retratos do Cinema Português – Membros da Academia Portuguesa de Cinema” chega ao ArrábidaShopping no próximo dia 21 de julho e vai estar no Piso 0 – junto à Perfumes & Companhia. Ao todo, são 35 retratos de grande dimensão, a preto e branco, da autoria do fotógrafo José Pinto Ribeiro.

Esta mostra surge no âmbito da iniciativa “20 anos, 20 filmes” do ArrábidaShopping, que tem por objetivo assinalar duas décadas de aniversário do Centro. O projeto é promovido pela Academia Portuguesa de Cinema com vista a assinalar o ano do cinema e do audiovisual em colaboração com o Instituto do Cinema e do Audiovisual.

Os retratados são membros da academia e representam várias profissões do setor do cinema, como atores, realizadores, produtores, diretores de fotografia, compositores, entre outros. Desses destacam-se nomes como Carla Chambel, Maria João Bastos, Lídia Franco, Ivo Canelas, José Fidalgo, António Pedro Vasconcelos e os produtores Paulo Trancoso e Nuno Bernardo ou o guionista João Nunes.

Mais de 50 retratos foram recolhidos ao longo dos últimos dois anos, ainda inéditos, com vista à montagem de uma exposição em 2016 e, posteriormente, à edição de um livro oficial da academia com a sua espécie de ‘Wall of Fame’ em fotografias.

“Esta mostra surge no âmbito da iniciativa “20 anos, 20 filmes” do ArrábidaShopping”

O fotógrafo José Pinto Ribeiro é natural das Caldas da Rainha e licenciou-se em Tecnologia Cerâmica (no Reino Unido), área em que exerceu atividade durante 13 anos. Trabalhou no Royal College of Art, em Londres, para o Queensberry & Hunt, para o grupo Cerasarda, na Sardenha, uma fábrica do Aga Kahn, na SPAL, em Alcobaça, no Brasil, no Canada e na Fábrica de Louça de Sacavém.

Aos 30 anos criou uma empresa de informática, a Portus, tendo sido esta líder de mercado. Introduziu em Portugal novas tecnologias, como o Autocad, a Sinalética computorizada e a impressão digital de grandes formatos com a Encad.

Na década de 90, com 44 anos vendeu as empresas, comprou um veleiro e velejou pelo mundo, projeto ao qual se dedicou durante cinco anos. Quando regressou, montou um estúdio de fotografia, em Lisboa, e dedicou-se a esta sua paixão desde então. De 2009 a 2015 foi fotógrafo de Cena na SP Televisão e em 2013, tornou-se no fotógrafo oficial da Academia Portuguesa de Cinema.

Categorias
Cultura
Partilhar

Tudo o que precisa num único espaço