Corrida no verão: praia ou estrada?

Nem mesmo durante as férias deve deixar de lado o desporto. Pode combinar atividades e correr até na praia entre banhos de sol e uns mergulhos.

As férias de verão não podem servir como desculpa para deixar o treino de lado. O exercício físico deve ser mantido mesmo quando a rotina muda. Para quem vai viajar, a corrida no asfalto e na areia da praia são sempre boas alternativas.

Devem procurar-se locais e atividades diferenciados, como a natação e até mesmo inserir novas modalidades. Correr é uma das alternativas mais indicadas durante este período, mas há outras que podem tornar até as férias mais divertidas.

“Se for correr na areia, deve evitar-se fazê-lo junto da água, por causa da inclinação, já que pode causar lesões”.

Aliás, existem vários desportos que podem mesmo ser praticados na praia para conseguir manter a forma, para além da corrida que é sempre uma boa opção, segundo Carlos Bruce, Personal Trainer. “O treino funcional está muito na moda, e consiste em fazer vários movimentos do dia-a-dia, inserindo-os numa atividade física mais dinâmica, usando o peso corporal – como agachamento, flexão de braços, movimentos de força que trabalhem peitoral, tríceps, pernas e o próprio abdominal”, avança.

E estes “são exercícios que não requerem muito equipamento ou nenhum”, assevera ainda o PT, já que podem ser realizados descalço na praia e até de fato de banho.

Deve beber no mínimo um litro de água durante um exercício de uma hora.

No entanto, há cuidados a ter. O ideal, no verão, é evitar os horários de pico de calor e fazer o treino durante a parte da manhã, entre as 8h e as 10h. Carlos Bruce alerta igualmente para o facto de ser importante “beber muita água mesmo sem sede”, porque sentir sede “é já um sintoma de desidratação”. Deve beber no mínimo um litro de água durante um exercício de uma hora. A alimentação também não deve ser descurada, já que “nunca se deve praticar exercício em jejum pela manhã, para não correr o risco de hipoglicemia”, continua.

É ainda importante ter consciência do vestuário que se usa durante o treino – não se deve usar uma roupa muito pesada – e os tecidos devem permitir a libertação de suor de forma rápida. “Se o suor não é libertado para a atmosfera fica entre a pele e a roupa e aquece ainda mais o corpo”, explica, acrescentando que “um top é o ideal, se for correr no asfalto”, mas o calçado requer cuidados redobrados – “tem de ser específico”.

“Uma pessoa treinada pode intercalar: um dia corre no asfalto e noutro na areia.”

E, “se for correr na areia, deve evitar-se fazê-lo junto da água, por causa da inclinação, já que pode causar lesões”. No entanto, não é necessário correr de sapatilhas na areia. “A areia é mais fofa e permite a absorção de impacto”.

Mas, alerta que “não se deve querer ser o herói por um dia”, para “não ficar três ou quatro dias de molho”. O mais importante no verão é aproveitar o clima e convém que não se esteja a sair do sedentarismo total, mas fazer exercício o resto do ano também. Nunca se deve começar com a corrida de forma brusca. O treino deve ser feito com moderação, porque nunca se vai perder peso em dois dias, nem ganhar peso em dois. É a longo prazo.

Areia ou asfalto?

Para a corrida, se for uma pessoa que se está a iniciar é mais interessante começar a correr em terreno mais duro e regular, como a estrada, começando antes por fazer caminhadas e alternar com corrida. O PT esclarece que “a areia requer muita força muscular da perna e mesmo que se esteja preparado na parte cardiorrespiratória, poderá não ter preparação muscular e, em 100 metros de praia, poderá sofrer uma lesão, como um estiramento muscular”.

Uma pessoa treinada pode intercalar: um dia corre no asfalto e noutro na areia, com mais intensidade e uma duração menor, “como 40 minutos na pista e 15 minutos na areia, já que é muito mais intenso”, conclui Carlos Bruce.

Categorias
Vida Saudável
Partilhar

Tudo o que precisa num único espaço