Apps de treino: incentivo ou ferramenta inútil?

Foi apresentada ontem a nova e atualizada app de corrida da Nike+. Aquela que é, muito provavelmente, uma das aplicações de corrida para smartphones mais usadas em todo o mundo foi melhorada e conta agora com mais funções e treinos mais personalizados para cada utilizador.

Vi o novo ícone, que passou de vermelho a verde limão, num fundo preto, logo de manhã, mal a atualização me chegou ao telemóvel. Dizem que querem ajudar os utilizadores a atingir mais rapidamente os seus objetivos e por isso conta agora com três programas de treinos distintos, que são mais completos e personalizados.

A Nike+ foi melhorada e conta agora com mais funções e treinos mais personalizados para cada utilizador

Tudo bem, depois de duas utilizações adapto-me ao novo aspeto, que é realmente mais bonito, e à primeira vista parece mais organizado.

Acontece que tenho o Nike+ instalado desde 2015, mas pode-se dizer que foi há cerca de um mês que comecei a dar-lhe mais uso, quando decidi participar na Meia Maratona de Lisboa, a 2 de outubro deste ano, e criei um plano de treino que me preparasse para correr os 21km naquela data.

Por isso, quando me apercebi de que a atualização da app me apagou o plano de treino que andava a seguir, já deixei de achar tanta graça à nova versão mais bonitinha. Drama. Vou vender as sapatilhas de corrida, devolver o dorsal e nunca mais corro na vida!

Pronto, não chegarei a tanto (na verdade ainda nem comprei o dorsal) mas o treino que até estava a correr bastante bem, parece ter ficado meio aquém. O que já corri, já corri, mas foi como se treinasse com um PT que de repente emigou sem me dizer nada —e isso não se faz.

Hoje deveria correr 14km. Mas então e amanhã? E depois? Tenho de criar um novo plano de treino, o que não é dramático, já fui ganhando alguma resistência e isso não se perdeu com a atualização. Além disso, se o smartphone ficasse sem bateria, não era por isso que não ia correr, por isso não será por a aplicação a que estava habituada estar diferente que vou acabar com o treino. Apenas fez-me perceber que aquela aplicação estava a incentivar-me e a ajudar-me.

Em qualquer treino deve haver uma vontade de superação pessoal e cada um tem de procurar aquilo que mais o motiva. A contagem de quilómetros corridos e os recordes pessoais batidos do Nike Training Club eram de facto um incentivo. Não melhor do que correr em conjunto nem do que notar as melhorias no corpo, mas era um bom incentivo.

Por isso, querida aplicação da Nike+, podias ter ficado na versão antiga até à data da Meia Maratona de Lisboa, mas ainda assim, obrigada. Se o smartphone deve ser usado para tanto mais que fazer chamadas, as aplicações de corrida e de treino, são um muito bom exemplo disso.

Partilhar